maio 25, 2005

[Atualizações no site, ainda que tardias...]

março 18, 2005

Confira matéria sobre o projeto Caroneiros: Histórias da Estrada no Globo Online, com direito a mapa interativo

março 10, 2005

Continuem acompanhando o site e o blog. Assim que estiver pronto, vamos disponibilizar o promo de Caroneiros: Histórias da Estrada!

_dia 27 de fevereiro_ Angra dos Reis/Rio de Janeiro [RJ]

Afinal conseguimos sair de veleiro! Nossos personagens toparam fazer a entrevista no mar! Café da manhã com eles, entrevista e... um banho de mar para limpar as energias e como batismo para uma nova etapa de decupagem e edição no Rio de Janeiro. Subimos as ruas de Santa Teresa com duas mãos segurando cada câmera para não tremer de emoção, nervosismo, tudo junto... Familiares e amigos nos esperando com cerveja, charutos comemorativos, flores e abraços. Etapa cumprida! Alívio e felicidade. Chegamos! Festa até de noite para um amanhã sem folga... Vamos rever o material e estruturar bem o roteiro!


[Passeio num veleiro em Angra antes de voltar pra casa]


[Charutos para comemorar a volta depois de três meses de aventura e trabalho]

_Agradecimentos

Agradecemos às pessoas que têm feito a estrada se tornar agradável, tanto no sentido figurado quanto no literal.

__Os Caroneiros agradecem a:

Miss Pixel [Adriana Marques e Monica Cardoso]
Maria Carneiro da Cunha Chaves
Grupo base Caroneiros da FGV

__Pré-Produção:
Mavi Matute y Jorge
Henrique Rupp
Talita Dalacosta
Pica-Pau [Anderson Luís de Andrade], pela mão-de-obra mecânica e noites viradas
Lloyd Paulista Seguradora, pela atenção, dedicação e seguros tão em cima da hora
Felipe Rhodes e Digital Klakett, pelo empréstimo da handycam e microcâmera
José Louzeiro, pelo empréstimo do inversor e doação de fitas DAT
Nono Coelho, pela doação de fitas DAT
Rodolfo Rupp, pela ajuda para criar nosso site
Alexandre Contador, caroneiro das antigas que ficou de base
Vinícius Correia, pelo texto na Ocas
Sandro Machado, pelo tratamento das fotos do blog
José Luis, do consulado do Uruguai
Marcela Boursea
Fernanda Brito
Vodu
Nelson Flach
Marquinho
Tomas Portella
Rômulo Marinho
Ridaj Auto Pecas
Paulo Ricardo
Gráfica Mec, que imprimiu os projetos
La Vereda
Onika Parapente
Ponto X

E também a todos os outros amigos e parentes que, de uma forma ou outra, conseguiram contatos, deram idéias, estão resolvendo nossos pepinos burocráticos enquanto viajamos, emprestaram mochilas, roupa de frio… Vocês são incríveis!

__Durante a viagem:

Muito obrigado a todos os caronas que se arriscaram a entrar nos fuscas. Eles toparam ficar espremidos por um bom tempo no banco de trás cedendo entrevistas! Não seríamos nada sem vocês!

Obrigado a todos os entrevistados fora dos fuscas!

Aos nossos apoiadores espontâneos, que acreditaram no projeto e na gente no momento em que surgimos do nada nas diversas cidades com esse papo de “estamos fazendo um documentário de baixo orçamento…”.

_Brasil [na ida]:
Michele, em São Paulo, por ceder o apê
Elaine, Sheila e Evely, em Londrina, por nos receber em casa
Família de Curitiba, em Foz do Iguaçu, pelo jantar!

_Brasil [na volta]:
Catriel Villadosa e Laura Vidal, Morro dos Conventos, pela recepção e hospedagem
Kelly e Rolo, Praia do Rosa, pelo incrível jantar
Mauro, Olga e Sharon, Bombinhas, pela recepção e hospedagem

_Paraguay:
Hotel Áustria, Ciudad Del Este, por ceder o estacionamento para os carros cheios de equipamento
Batalhão militar, Ciudad Del Este, por nos acompanhar pelas ruas da cidade fazendo a segurança dos equipamentos
Cosecha Films, Renate Costa Perdomo e família, Assunción, por nos instalar durante três dias na produtora, pelos contatos com entrevistados, por guiar-nos, por tudo… Incrível!!!
Jorge Rubiani [historiador e sociólogo], Assunción, por passar um dia inteiro nos fuscas contando toda a história do país!
Kike Petersen, Assunción, pelo conserto de harpa particular e pela autorização das músicas próprias para a trilha sonora do projeto

_Argentina [na ida]:
Carona Ariel Maximiliano Lugo, Villa Ana, por nos convidar para acampar no jardim da sua família, pelo contato com a Secretaria de Turismo para a visita pela fábrica
Pablo Kuniss [el Condor], em Cuchicorral, por oferecer o vôo duplo grátis
Nicolas Gallar, de Mendoza, por nos conseguir o camping e nos guiar pela cidade
Jorge Aparo e Suspenciones Monza, Mendoza, pelo mega desconto!
Bodega Lopez e Sr. Eduardo Lopez, Mendoza, por autorizar a filmagem interna e relevar nosso atraso
Maximiliano Witis, Bariloche, pela noite grátis na cabana (em plena alta temporada!) e pelos contatos
Adriana Jaensch, Bariloche, pelos mil telefonemas a partir de sua loja
Matias Rogero, Bariloche, pelas entrada isenta às Aerosillas
Leo Combo, Bariloche, pelo tour por oficinas mecânicas em busca de óleo
Julio Lima [Fred], motoqueiro brasileiro, pelas mil dicas de todas as estradas argentinas
El Gran Hermano e todos os parapentistas de El Bolson, pela recepção, entrevistas e dicas
Antoine Mercier, francês em El Bolson, pelo vôo duplo grátis para filmagem!!!
Leonardo Ramone, Bosque Tallado de El Bolson, pela entrada gratuita no parque
Reparadores de estradas, Los Tamariscos, por nos acolher em seu abrigo à noite
Flávio Melo, Exploranter, brasileiro em El Calafate, pela visita ao hotel sobre rodas, entrevista e uso da cozinha
Agencia Hielo y Aventura, El Calafate, por reduzir pela metade o preço do trekking sobre o gelo!
Gustavo, El Calafate, pelo guia particular de horas sobre o gelo!
Juan, garçom do restaurante Paso Verlika, El Calafate, pela conta milagrosa que apresentou ao final do jantar
Aduana argentina de San Sebastian, por ceder a sala de espera, as duchas e a calefação noturna

_Argentina [na volta]
Carlos, Comodoro Rivadavia, pelo empréstimo do espaço e atenção em sua oficina mecânica
Angel, Puerto Piramides, pelo CD com fotos, explicaçõee e tudo
Gullermo, Las Grutas, por deixar a gente usar a internet por horas de graça e pela cerveja
Taller Mecanico Vega, Aberto e seu filho, Buenos Aires, pelos dois dias de aluguel na oficina deles, pelo espaço, pelas dicas de onde conseguir peças reserva, ferramentas, etc.
Camila Fanego, pelas dicas, contatos,...
Alejandra Harte, pela casa só pra gente por quatro dias!

_Uruguay:
Pablo Suarez, Colonia del Sacramento, por nos buscar às 4h da manhã no ferry, pela hospedagem, entrevista infindével, o almoço, o guia... Nossa!
Florencia, Andres, Fabiana e toda a familia Santagelo, Montevideo, pela recepção, hospedagem, contatos... Praticamente nossa produção local!
Carlos Paez Villaró e esposa, Punta Ballena, pela recepção e pelos tantos presentes, dos vinhos aos livros

_Chile:
Casa Roja, Santiago, por nos deixar acampar mais barato no quintal do albergue
Paola, da Casa Roja, Santiago, pelo carinho e comida
Instituto Victor Jarra e Nilo, Santiago, pela autorização para filmar no instituto, pela dedicação e autorização para utilizarmos do CD para a trilha sonora
Cristian, La Trinchera, pela recepção e festa
Ilse Simpfendorfer, Pucon, por nos levar à aldeia Mapuche
Feria Mapuche de Kuikui, Pucon, por autorizar filmagem e armar todo o cenário típico para as entrevistas
Senhor do posto de gasolina de Puerto Montt, pelo acampamento gratuito

_dia 26 de fevereiro_ Ubatuba/Trindade/Parati/Angra [SP/RJ]

Acordamos às 4h30 da manhã para filmar com a luz do nascer do sol. Planos incríveis nas praias de Ubatuba, depois estrada para Trindade, entrevistas, Parati, planos dos carros passando, almoço e chegada à Angra num apartamentinho já reservado por amigos para passar a ÚLTIMA noite!


[Mostarda e Azeitona passeiam pela bela Parati]

_dia 25 de fev_ Estrada na entrada de São Paulo/Ubatuba [SP]

Mais muita estrada. Tanta que o dia não rendeu. Um calor abafado nas subidas e descidas da Rio/Santos com tráfego intenso. Quase 10 h para nem 500 quilômetros rodados. Dia feio e sem contraste para filmar. Chegando à Ubatuba paramos os carros e nos reunimos para decidir se dormíamos ali mesmo, apostando no clima bom do dia seguinte para ganhar alguns planos melhores da Rio-Santos, se adiávamos a chegada ao Rio ou se abríamos mão do passeio de veleiro que amigos nos propuseram em Angra para chegar no domingo... Abrimos mão do veleiro em prol de boas imagens...

_dia 24 de fev_ Bombinhas/Estrada na entrada de São Paulo [SC/SP]

Enquanto Santiago e Joana foram atrás de um novo vidro para o Mostarda, Magdalena, Pedro, Martina e Carlito fizeram algumas entrevistas em Bombinhas e almoçaram para, depois, encontrá-los, seguir viagem e dirigir, dirigir, dirigir. Programamos 700 quilômetros, mas tendo em vista o atraso por conta do vidro quebrado, alguns acidentes feios na famosa estrada da morte, um engarrafamento monstro de caminhões e o cabo de acelerador do Azeitona arrebentar, decidimos parar num hotel de beira de estrada na entrada do Estado de São Paulo e seguir apenas no dia seguinte.


[Com amigos, em Bombinhas]

_dia 23 de fev_ Praia do Rosa/Guarda/Bombinhas [SC]

Desarmamos o circo: mochilas, equipamento, comida e afins... Nos encontramos com os caroneiros que iam até Floripa e partimos depois de assinar o livro de visitantes do albergue (com direito a desenho do fusca e tudo). Entrevistamos os caroneiros, uma brasileira e um argentino, até a Guarda, onde paramos por uma hora para dar um mergulho, tirar fotos e seguir viagem. Nos despedimos na entrada de Floripa e alguns quilômetros chegamos à Bombinhas, recebidos e acolhidos por amigos. Fizemos planos dos carros passando pelas praias da península e o vidro do Mostarda estourou. Mais tarde muito mate, conversa e banho de mar noturno...

fevereiro 23, 2005

_dia 22 de fev_ Morro dos Conventos/Praia do Rosa [SC]

Demos carona aos nossos anfitriões até Araranguá, café na padaria (emoção coletiva ao ver pão de queijo!) e despedida. Pegamos a estrada para a Praia do Rosa, em Imbituba, levando uma caroneira. Chegamos à praia, mergulhamos no mar, colamos cartazes pelo albergue oferecendo carona para o dia seguinte, já que é raríssimo ver gente pedindo carona nas estradas do Brasil. Amanhã tem jantar na casa dos nossos caroneiros. Detalhe: ele é chefe de cozinha!

_dia 21 de fev_ Torres/Morro dos Conventos [RS/SC]

Entrevista numa pousada em Torres com um casal de artesãos, formado por um uruguaio e uma colombiana que, no meio da viagem, pariram um filho no Brasil. Saímos no início da tarde para almoçar em Morro dos Conventos, em Araranguá, onde estava um casal de amigos da Magdalena que trabalha com cinema no Paraguai, Uruguai e Argentina. Ao chegar em Morro, uma duna enorme e várias tábuas de sandboard para alugar. Todos se divertiram nas dunas até a noite cair. Nos convidaram para dormir por lá e... Bem, já que é assim... Camarão, peixe, cerveja, muitas histórias de set de filmagem num papo ótimo (que só quem trabalha com cinema agüenta... Pobre Carlito) e colchões emprestados pra gente cair.

_dia 20 de fev_ Cassino/Torres [RS]

Pela manhã fizemos vários planos dos fuscas pela areia dura e infindável das praias do Cassino. Enquanto estávamos filmando, vimos fumaça por todo Azeitona. O pânico foi momentâneo. Descobrimos que um aramezinho do banco encostou na bateria do carro causando um pequeno curto circuito. Meia hora para o Carlito, mais dois planos e estrada rumo à Torres. Um "estresse silencioso" se abateu sobre o grupo e cada um foi para um lado jantar.

_dia 19 de fev_ La Pedrera/Punta del Diablo/Chuí/Cassino [Uruguay/Brasil]

Saída cedo com paradinha na padaria, estrada e um caroneiro chileno. Antes de cruzar a fronteira, uma parada em Punta del Diablo para comer bolinhos de alga e... fronteira: última aduana! BRASIL!!! Comprinhas de besteiras baratas no Chuí, câmbio e estrada, estrada e mais estrada cruzando a reserva natural da Lagoa dos Patos, no Rio Grande do Sul, até chegar ao Cassino à noite para matar a saudade do arroz com feijao e depois dormir.

_dia 18 de fev_ La Pedrera [Uruguay]

A praia pela manhã era pra ser apenas um mergulho, mas acabou virando uma curtição até a hora do almoço. Por gostar tanto do lugar e também para justificar a estadia, a tarde foi dedicada para os planos da seqüência de abertura, com cada integrante em cima de um dos fuscas pelas estradinhas perto do povoado. Fomos dormir exaustos.

_dia 17 de fev_ Punta Ballena/Punta del Este/La Pedrera [Uruguay]

Seguimos direto para Punta, almoçamos, fizemos algumas filmagens, acessamos a internet, baixamos fotos e pegamos a estrada para La Pedrera. Lá bebemos umas cervejinhas até...


[Pedro, Santiago e Martina filmam em Punta del Este]

fevereiro 17, 2005

_dia 16 de fev_ Montevideo/Punta Ballena [Uruguay]

Mais duas entrevistas, uma visita à borracharia e a tarde saímos em direção a Punta Del Este. Levamos, como caroneira, nossa “amiga-anfitriã” de Montevideo, que passaria uns dias na praia. Ao deixá-la, sua família nos esperava com almoço e ótimo papo. Só saímos às 18h… No caminho, quase chegando, paramos em Punta Ballena para visitar a Casa Pueblo, do pintor e escultor Carlos Páez Vilaró. Pôr-do-sol incrível no lugar e, na saída, uma surpresa: o próprio Vilaró pergunta a Magdalena sobre nosso projeto e nos convida para conhecer a parte que o público não tem acesso. O convite resultou em taças de vinho e numa “conversa-entrevista”. Para manter a tradição, chegamos ao camping para montar as barracas às 23h. Valeu a pena!


[Os fusquinhas seguem para Punta Ballena. Próxima parada: Casa Pueblo]

_dia 15 de fev_ Montevideo [Uruguay]

Entrevistas nos quatro cantos da cidade durante todo o dia. Depois da última, cada um foi dar uma volta na cidade, procurar CDs de música uruguaia e peças originais de fuscas. Cada um na sua.


[Mais um dia de trabalho na rotina dos Caroneiros, desta vez em Montevideo]

fevereiro 14, 2005

_dia 14 de fev_ Montevideo [Uruguay]

Nossos anfitriões deram um show de produção e boa vontade. Nos arranjaram contatos com músicos, bailarinas, animadores e etc. Foi um dia de produção, recheado de telefonemas, emails e faxes. Saímos com a agenda cheia para os próximos dois dias. No fim da tarde o grupo se dividiu em dois. Metade foi à uma apresentação de títeres na praça, enquanto a outra foi ao cinema assistir a um filme uruguaio que estreava. Obrigada Uruguay pela boa vontade e ajuda desde que entramos no território!

_dia 13 de fev_ Colonia del Sacramento/Montevideo [Uruguay]

Passamos o dia pelas ruas de Colonia com Pablo. Pessoa incrível e cidade linda, uma mescla de colonização portuguesa e espanhola, bem bucólica. Mil fotos, filmagem e uma entrevista enoooorme com Pablo. No fim da tarde partimos para Montevideo, onde acampamos no jardim do irmão de uma amiga. Fomos recebidos com um jantar na mesa do jardim. Incrível recepção no Uruguay!


[Caroneiros em ação na bonita Colonia del Sacramento]

_dia 12 de fev_ Buenos Aires/Colonia del Sacramento [Argentina/Uruguay]

Fizemos entrevistas durante o dia pelas ruas de Buenos Aires, principalmente pelos bairros velhos, como Boca e San Telmo. No final da tarde fomos arrumar as tralhas mil nos fuscas e partimos em direção ao Buquebus, ferry que sai de Buenos Aires e atravessa a fronteira marítima até Colonia del Sacramento, no Uruguay. Do outro lado estava nos esperando Pablo Suarez, artista plástico que nos recebeu em sua casa.


[Aceituna gana las calles de Buenos Aires]

_dia 11 de fev_ Buenos Aires [Argentina]

Dia livre e seis diários diferentes… Que cada um conte o seu! Impressionante: Joana entrou numa e pegou um avião para Puerto Madryn. Foi conhecer a faculdade de biologia marinha, onde quer estudar a partir do ano que vem! Cada mudança que essa viagem está gerando...

_dia 10 de fev_ Buenos Aires [Argentina]

Últimos acertos nos carros, soldas aqui e ali, borracharia e a tão esperada lavagem geral!!! Agora está outra coisa… Não aguentávamos mais a poeira acumulada no ripio e nas estradas de terra. Fizemos alguns contatos para entrevistas e, de repente, aconteceu uma separação harmoniosa da equipe para recuperar energias e continuar a viagem. Como o dia seguinte era morto e todos os entrevistados só podiam nos receber no dia 12, decidimos pela folga: cada um na sua, cada um para um canto.

_dia 9 de fev_ Buenos Aires [Argentina]

À procura de uma oficina mecânica que cedesse o espaço para dar uma geral nos carros, conhecemos o Beto, que trabalha basicamente com fuscas e nos ajudou em tudo, desde achar peças até ceder parte de sua oficina para o Carlito trabalhar durante dois dias. Que personaje increíble! O pai importava fuscas em 49 e participava de ralis… O que parecia ser um dia meio chato acabou virando um trabalho animado, cheio de histórias e dicas. À noite cada um foi para o seu lado rever amigos, familiares...

_dia 8 de fev_ Rio Colorado/Buenos Aires [Argentina]

Oitocentos e sessenta quilômetros de estrada até chegar em Buenos Aires, ou seja, o dia inteiro dentro do carro! Fora um cabo de acelerador partido e um pneu furado na entrada da capital Argentina, passamos o dia inteiro nos divertindo com o jogo do nheeeeuummm (som emitido nos radinhos por integrantes da equipe quando conseguem ultrapassar o outro fusca). Obviamente os meninos não conseguiram engolir o fato do carro feminino (neste dia estávamos divididos assim) seguir na dianteira e começaram a roubar... Quando não vinham carros da outra direção ficavam dirigindo no meio da estrada impedindo a passagem do Mostarda, que aproveitava as ultrapassagens dos carros mais potentes para conseguir seus pontos... Acabamos não contando os pontos pois o carro masculino foi desclassificado por postura ilícita! Chegamos à 1h da manhã em Buenos Aires, exaustos e felizes por dormir em colchões pela primeira vez depois de Bariloche!

_dia 7 de fev_ Puerto Pirámides/Las Grutas/Rio Colorado [Argentina]

Estrada desde cedo para almoçar em Las Grutas e consertar uma bobagem no Azeitona. Seguimos viagem e paramos apenas às 21h, num hotelzinho de beira de estrada em Rio Colorado. Amanhã bem cedo a gente ruma para Buenos Aires.

_dia 6 de fev_ Puerto Pirámides [Península Valdés, Argentina]

Santiago ficou de repouso na barraca por conta da coluna. Armamos a “traquitana humana Martina” antes de sair. Sobre o teto do Mostarda, entre as grades do rack, apontamos a grande angular para as estradinhas até a Isla de los Pájaros e a prainha mais próxima. Mergulhos no mar, dia tranqüilo e imagens incríveis. A volta foi sobre o Azeitona para diversificar. Ao chegar em Puerto Pirámides, Magdalena, Joana e Carlito foram fazer o passeio náutico pela costa (passaram a dois metros dos lobos marinhos e golfinhos!!!). Pedro e Martina preferiram assistir ao jogo Brasil x Argentina. Na volta, jantar e cerveja com os tripulantes da embarcação até tarde. Conversa pra lá de divertida! Puerto Pirámides vai deixar saudades. Ponto forte da viagem! Paisagens, pessoas, animais e dias maneiríssimos!


[Martina em cima do Mostarda: tudo por um bom ângulo]

_dia 5 de fev_ Puerto Pirámides [Península Valdés, Argentina]

Fomos conhecer a cidadezinha: uma graça, milhões de informações, folhetos e mapinhas. Valeria a pena ficar uma semana inteira! Entrevistamos o “Rei das Baleias”, personagem da cidade. Decidimos ir à Caleta Valdés e Punta Norte, a 87 quilômetros de ripio da cidade, para ver os elefantes e os lobos marinhos e, supostamente, as orcas. A estrada até lá já valeu o passeio: a travessia de guanacos, ovelhas, lebres, tatus e raposas e suas crias acontecia de cinco em cinco minutos. Um perigo para quem está dirigindo, mas lindo. Ao chegar às praias encontramos centenas de lobos e elefantes marinhos, sendo a grande maioria de filhotes. Fotos, filmagem, som ambiente dos animais e uma espera eterna pelas orcas… Especulações sobre horários, marés e a passagem delas no dia anterior até ficarmos todos tostados pelo sol, cansados e lembrarmos que banho no camping seria até as 23h. Voltamos apreciando um pôr-do-sol lindo.


[Martina, Magda e os lobos marinhos de Punta Norte]

_dia 4 de fev_ Camarones/Puerto Pirámides [Península Valdés, Argentina]

Saímos cedo de Camarones com um carona que estava no camping. Ótima entrevista e companhia! Nosso caroneiro trabalhava num projeto de educação paralela em Buenos Aires e nos expôs pontos-de-vista muito bacanas. Ele nos deixou na bifurcação de Puerto Madryn e Trelew. Seguimos a Puerto Madryn (almoço, banco e internet) para depois encarar mais 90 quilômetros até chegar em Puerto Pirámides, na entrada da Península Valdés. Filmamos os carros passando pelas planícies tendo o pôr-do-sol como cenário.Península Valdé

_dia 3 de fev_ Camarones [Argentina]

Dia de drama entre Santiago e sua coluna. Fomos fazer as entrevistas, Pedro, Magdalena e Martina, para deixá-lo deitado recuperando-se, enquanto Carlito dava uma geral nos carros e Joana botava em dia todo o caderno financeiro, gravava os CDs das fotos, etc… Durante as entrevistas descobrimos estar no primeiro lugar em que os espanhóis pisaram ao descobrir o que hoje é a Argentina, e que o avô de nosso entrevistado era amigo de infância do ex-presidente Perón. Histórias e mais histórias, fotos de época… Muito bacana. Em seguida fomos ao museu da cidade. Um museu particular, feito por uma senhora em sua casa com peças doadas pelos moradores da cidade, contando sua história de forma especial. O carinho pelas quinquilharias era evidente. Os olhos da senhora Pascoala brilhavam ao falar do museu. Pela tarde nos reunimos novamente e fomos curtir a pingüinera. Divertidíssimo! Mais de 50 mil pingüins cruzando de um lado a outro, gritando e nadando ao nosso lado.


[Equipe na Pingüinera de Camarones]

_dia 2 de fev_ Camarones [Argentina]

Folga!!! Decidimos ir cada um para o seu lado, tomar um dia inteiro livre, sem câmeras, sem decisões coletivas. Todos estavam precisando espairecer e Camarones, para isso, era perfeito. Uns foram recuperar o sono atrasado na praia, outros resolveram fotografar catadores de algas, ler, telefonar pros namorados e namoradas, por em dia diários ou simplesmente não fazer nada. Ao final da tarde nos encontramos no camping, justamente quando chegavam os pescadores com quilos e mais quilos de salmão. Dois salmões enormes na grelha com verduras e, novamente, um ótimo astral! Estávamos realmente precisando!

_dia 1º de fev_ Fitz Roy/Camarones [Argentina]

Outro dia de estrada, estrada e mais estrada. Desta vez, beirando o Atlântico com diversas paradas para filmar até chegar em Comodoro Rivadavia para almoçar e soldar uma pecinha na suspensão do Azeitona. Apenas no começo da noite alcançamos Camarones, exaustos.


[Santiago, Martina e Pedro fazem planos na estrada para Caleta Olivia]


[Joana produz de Río Gallegos]

_dia 31 de jan_ Piedra Buena/Fitz Roy [Argentina]

Dia de estrada. Parada rápida para o almoço em Puerto San Julian (de onde saíam as tropas argentinas durante a Guerra das Malvinas) e muuuuuuuito mais estrada com retões enormes. Chegamos às 21h à Fitz Roy, povoadinho no meio do nada onde armamos as barracas e desmaiamos.

_dia 30 de jan_ San Sebastian/Piedra Buena [Argentina]

Cruzamos a fronteira do Chile e, ao voltar a cruzar a fronteira para a Argentina, uns 200 quilômetros depois, demos carona ao casal “chileno-checa”, que levamos até Rio Gallegos onde ele estudava. A conversa foi tão bacana que eles nos convidaram para beber umas cervejinhas por lá. Saímos um pouco mais tarde do que esperávamos e chegamos bastante tarde à Piedra Buena.

_dia 29 de jan_ Ushuaia/San Sebastian [Argentina]

Despedida do João nosso “caroneiro-acompanhante de moto”. Antes de partir, fizemos nossa especialidade culinária, que chamamos de Sopa da Fronteira Chilena, ou Sopa de La Aduana. A maravilha é preparada com alimentos perecíveis, que não podem entrar no Chile, ou seja, restos de frutas, cebola, pimentão, batata, cenoura, presunto... Maravilhosa! Enquanto descascávamos os ingredientes, uma surpresa: pela janela vimos os primeiros flocos de neve caindo. Deixamos a sopa de lado para fazer fotos na neve, rir dos turistas que não acreditavam nos brasileiros (diga-se de passagem: nos três meninos) pulando e gritando do lado de fora da cozinha. Ao sair de Ushuaia levamos um casal de caroneiros de La Plata por todo o ripio até Rio Grande. De lá seguimos até a fronteira Argentina-Chile, onde nos hospedamos na “nossa” salinha com calefação da aduana argentina.


[Equipe unida prepara a Sopa de La Aduana no camping do Ushuaia]

_dia 28 de jan_ Ushuaia [Argentina]

Carlito ficou dando uma geral no Azeitona pela manhã, enquanto Martina descansava na barraca. Os outros quatro caroneiros foram à cidade para entrevistar o secretário de Turismo e conhecer o Museu do Fim do Mundo. À tarde nos juntamos para almoçar e visitar o Museo de la Penitenciária (foi a mão-de-obra dos presos que ajudou a construir Ushuaia). Entrevistamos o guia e o diretor do museu, que nos convidou para assistir à uma apresentação de música celta.

janeiro 28, 2005

Agradecimentos

Ainda estamos preparando nosso retorno, mas não podemos deixar de desde já agradecer as pessoas que fazem a estrada se tornar agradável, tanto no sentido figurado quanto no literal.

_Os Caroneiros agradecem a:

Miss Pixel [Adriana Marques e Monica Cardoso]
Maria Carneiro da Cunha Chaves
Grupo base Caroneiros da FGV

_Pré-Produção:
Mavi Matute y Jorge
Henrique Rupp
Talita Dalacosta
Pica-Pau [Anderson Luís de Andrade], pela mão-de-obra mecânica e noites viradas
Lloyd Paulista Seguradora, pela atenção, dedicação e seguros tão em cima da hora
Felipe Rhodes e Digital Klakett, pelo empréstimo da handycam e microcâmera
José Louzeiro, pelo empréstimo do inversor e doação de fitas DAT
Nono Coelho, pela doação de fitas DAT
Rodolfo Rupp, pela ajuda para criar nosso site
Alexandre Contador, caroneiro das antigas que ficou de base
Vinícius Correia, pelo texto na Ocas
Sandro Machado, pelo tratamento das fotos do blog
Marcela Boursea
Fernanda Brito
Vodu
Nelson Flach
Marquinho
Tomas Portella
Rômulo Marinho
Ridaj Auto Pecas
Paulo Ricardo
Gráfica Mec, que imprimiu os projetos
La Vereda
Onika Parapente
Ponto X

E também a todos os outros amigos e parentes que, de uma forma ou outra, conseguiram contatos, deram idéias, estão resolvendo nossos pepinos burocráticos enquanto viajamos, emprestaram mochilas, roupa de frio… Vocês são incríveis!

_Durante a viagem:

Muito obrigado a todos os caronas que se arriscaram a entrar nos fuscas. Eles toparam ficar espremidos por um bom tempo no banco de trás cedendo entrevistas! Não seríamos nada sem vocês!

Obrigado a todos os entrevistados fora dos fuscas!

Aos nossos apoiadores espontâneos, que acreditaram no projeto e na gente no momento em que surgimos do nada nas diversas cidades com esse papo de “estamos fazendo um documentário de baixo orçamento…”.

No Brasil:
Michele, em São Paulo, por ceder o apê
Elaine, Sheila e Evely, em Londrina, por nos receber em casa
Família de Curitiba, em Foz do Iguaçu, pelo jantar!

No Paraguay:
Hotel Áustria, Ciudad Del Este, por ceder o estacionamento para os carros cheios de equipamento
Batalhão militar, Ciudad Del Este, por nos acompanhar pelas ruas da cidade fazendo a segurança dos equipamentos
Cosecha Films, Renate Costa Perdomo e família, Assunción, por nos instalar durante três dias na produtora, pelos contatos com entrevistados, por guiar-nos, por tudo… Incrível!!!
Jorge Rubiani [historiador e sociólogo], Assunción, por passar um dia inteiro nos fuscas contando toda a história do país!
Kike Petersen, Assunción, pelo conserto de harpa particular e pela autorização das músicas próprias para a trilha sonora do projeto

Na Argentina:
Carona Ariel Maximiliano Lugo, Villa Ana, por nos convidar para acampar no jardim da sua família, pelo contato com a Secretaria de Turismo para a visita pela fábrica
Pablo Kuniss [el Condor], em Cuchicorral, por oferecer o vôo duplo grátis
Nicolas Gallar, de Mendoza, por nos conseguir o camping e nos guiar pela cidade
Jorge Aparo e Suspenciones Monza, Mendoza, pelo mega desconto!
Bodega Lopez e Sr. Eduardo Lopez, Mendoza, por autorizar a filmagem interna e relevar nosso atraso
Maximiliano Witis, Bariloche, pela noite grátis na cabana (em plena alta temporada!) e pelos contatos
Adriana Jaensch, Bariloche, pelos mil telefonemas a partir de sua loja
Matias Rogero, Bariloche, pelas entrada isenta às Aerosillas
Leo Combo, Bariloche, pelo tour por oficinas mecânicas em busca de óleo
Julio Lima [Fred], motoqueiro brasileiro, pelas mil dicas de todas as estradas argentinas
El Gran Hermano e todos os parapentistas de El Bolson, pela recepção, entrevistas e dicas
Antoine Mercier, francês em El Bolson, pelo vôo duplo grátis para filmagem!!!
Leonardo Ramone, Bosque Tallado de El Bolson, pela entrada gratuita no parque
Reparadores de estradas, Los Tamariscos, por nos acolher em seu abrigo à noite
Flávio Melo, Exploranter, brasileiro em El Calafate, pela visita ao hotel sobre rodas, entrevista e uso da cozinha
Agencia Hielo y Aventura, El Calafate, por reduzir pela metade o preço do trekking sobre o gelo!
Gustavo, El Calafate, pelo guia particular de horas sobre o gelo!
Juan, garçom do restaurante Paso Verlika, El Calafate, pela conta milagrosa que apresentou ao final do jantar
Aduana argentina de San Sebastian, por ceder a sala de espera, as duchas e a calefação noturna

No Chile:
Casa Roja, Santiago, por nos deixar acampar mais barato no quintal do albergue
Paola, da Casa Roja, Santiago, pelo carinho e comida
Instituto Victor Jarra e Nilo, Santiago, pela autorização para filmar no instituto, pela dedicação e autorização para utilizarmos do CD para a trilha sonora
Cristian, La Trinchera, pela recepção e festa
Ilse Simpfendorfer, Pucon, por nos levar à aldeia Mapuche
Feria Mapuche de Kuikui, Pucon, por autorizar filmagem e armar todo o cenário típico para as entrevistas
Senhor do posto de gasolina de Puerto Montt, pelo acampamento gratuito

Muitos agradecimentos ainda virão no caminho de volta!!

Enquanto isso, no Brasil...

Ainda dá tempo de comprar a edição de janeiro da revista Ocas, que traz os Caroneiros na capa! A matéria foi escrita por Vinícius Correia, grande incentivador do projeto. Valeu, Vini!